top of page
  • Foto do escritorGeovanne Solamini

'Cheias de Charme’ completa 10 anos: relembre o porquê a novela foi um sucesso dentro e fora da TV

A história das empreguetes conquistou o Brasil por abordar a relação de patroa e empregada com uma linguagem popular e muito humor


Imagem: Reprodução/Globo

A gente piscou e mais um sucesso de 2012 completou 10 anos. Dessa vez, a novela que completa sua primeira década é a divertida novela de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira com direção de núcleo de Denise Saraceni, que foi exibida entre abril e setembro daquele ano até se tornar um fenômeno nacional. Protagonizada por um trio feminino, Cida (Isabelle Drummond), Rosário (Leandra Leal) e Penha (Taís Araújo) são três jovens empregadas domésticas cujo passam poucas e boas nas mãos dos patrões. Por ironia do destino, as “empreguetes” como ficaram conhecidas, se conhecem logo no primeiro capítulo após serem presas em uma delegacia. Ali na cela, conversam sobre suas vidas e logo é perceptível que as três se identificam e se tornam grandes amigas. O futuro delas começa ali, após fazerem um pacto e dizerem “dia de empreguete, véspera de madame.


Assim como outras novelas originais e de grande sucesso exibidas naquele ano, ‘Cheias de Charme’ foi um grande acerto da TV Globo por conquistar o público do sofá e da internet, o que hoje em dia é bem difícil, mesmo que a tecnologia tenha evoluído bastante.


Por isso, em comemoração aos seus 10 anos, vamos relembrar os pontos fortes da novela que fazem ela ser lembrada até hoje? Vamos lá!


Valorização do trabalhador doméstico


Chayenne (Cláudia Abreu) humilha Penha (Taís Araújo) em ‘Cheias de Charme’ (2012) | Imagem: Reprodução/Globo

“Cheias de Charme” teve um papel muito importante além de entreter o público que foi trazer à tona o debate da relação entre patrões e empregados logo com as protagonistas da história. Ao longo da história, as três protagonistas são postas em diversas situações que fizeram o público refletir sobre o comportamento de muitos patrões e como empregados domésticos ainda eram “desamparados”. A novela levou informação ao tratar também sobre os direitos trabalhistas, como carteira assinada e férias remuneradas.


Houve uma campanha dentro da novela em parceria da Globo, Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a ONU Mulheres onde as personagens Penha (Taís Araújo) e Lygia (Malu Galli) falavam dos dois lados da moeda, incentivando os empregados domésticos a conhecerem e buscarem seus direitos e para que patrões sigam as leis trabalhistas na hora de contratar seus funcionários.


Afinal, que boa ideia de fazer daqueles personagens coadjuvantes, mas que muitas vezes acabam roubando a cena em protagonistas? Uma sacada sensacional.


Conto de fadas moderno


Isabelle Drummond e Jonatas Faro em ‘Cheias de Charme’ (2012) | Imagem: Reprodução/Globo

Os autores souberam muito bem escrever um conto de fadas moderno, onde as suas protagonistas almejavam um final feliz, mas não se prendendo aquela ideia de que precisavam de um príncipe encantado. Das três protagonistas, a que mais se encaixa nesse perfil é Cida (Isabelle Drummond), a doméstica que se apaixona pelo patrão rico. Está certo que a gente já viu essa situação presente em muitas histórias de contos de fadas e até mesmo em novelas, como nas duas versões de ‘Anjo Mau’ exibidas em 1976 e 1997.


Foi um grande exemplo de mulheres fortes e modernas, que enfrentaram diversos preconceitos e cada vez mais conquistaram o protagonismo de suas vidas sozinhas, sem a necessidade de terem o famoso príncipe encantado. Mas isso não anulou a vida amorosa das três não, fazendo com que elas se encontrassem com o amor no final da novela.


Investimento em conteúdo transmídia


Assim como em outras novelas exibidas no início da década de 2010, a Globo investiu fortemente em conteúdos transmídia, fazendo com que suas novelas não ficassem restritas apenas à TV. Em ‘Ti-Ti-Ti’ (2010), tínhamos os blogs que existiam na novela e na vida real ou em “Passione” (2010) em que os personagens desabafavam em vídeos que iam ao ar no site da novela.


Nessa novela, a ação de transmídia foi com o clipe da música “Vida de Empreguete”, uma gravação amadora em que as empreguetes criticavam as suas patroas. O videoclipe gravado na casa de Chayene (Cláudia Abreu) foi publicado na internet em 23 de julho e só foi exibido na segunda-feira seguinte para que quando fosse citado como um grande fenômeno na internet, ele realmente tivesse se consolidado um sucesso. Isso além dos mais de 35 produtos relacionados à novela que foram lançados com a parceria de grandes marcas.


A novela tomou conta da grade da Globo


Empregutes e suas ex-patroas no ‘Mais Você ‘ | Imagem: Reprodução/Globo

Quem assistiu na época, se impressionou com a quantidade de participações dos personagens nos programas de variedades da Globo. Rolou participações no “Mais Você”, “Vídeo Show”, “Caldeirão do Huck”, “Esquenta”, “Domingão do Faustão” e no recém estreado “Encontro”, com a participação das empreguetes, de Lygia (Malu Galli) e Chayene (Cláudia Abreu), convidada musical. Isso sem falar da participação especial que as empreguetes e a rainha do eletroforró fizeram no Especial Roberto Carlos que foi ao ar em 2012. Um fenômeno.


Vilã cômica de Cláudia Abreu


Cláudia Abreu como Chayenne em ‘Cheias de Charme’ (2012) | Imagem: Reprodução

A novela contou com um bom elenco, mesclando em grandes nomes já consagrados como Aracy Balabanian, Dhu Moraes, Leopoldo Pacheco, Tato Gabus Mendes, entre outros com novas apostas da emissora.


Mas sem sombra de dúvidas, o grande destaque da trama foi Chayenne, o último grande personagem de Cláudia Abreu na TV. O trabalho da atriz foi impecável e bem diferente de tudo que já vimos dela, e claro que Cacau arrasou cantando, dançando e fazendo todas as suas vilanias tragicômicas. Eternizou vários bordões como “curica” e “ariranha”, sem falar do seu hit “Voa Brabuleta”, música que grudou na cabeça das pessoas. Foi o grande acerto da novela.


10 anos de um sucesso que marcou época



Por fim, vale destacar que ‘Cheias de Charme’ foi uma daquelas novelas em que elenco, direção e autores estavam muito bem alinhados e por isso tivemos esse resultado. Uma novela boa, que entreteve e nos fez refletir sobre sérias questões, mostrando que dava pra falar de coisas sérias sem abandonar o humor inteligente o que a fez a maior audiência do horário das 19h da década de 2010, fechando com seus 30,2 pontos de média geral.


Ganhou sua reprise no “Vale A Pena Ver de Novo” com apenas 4 anos após estrear e que foi um sucesso. A trama mostrou–se não ser datada e levantou os índices de audiência da sessão de reprise. Uma pena que os autores não tenham conseguido emplacar um novo sucesso e que o filme das empreguetes não tenha saído do papel. Seria uma boa!

bottom of page