top of page
  • Foto do escritorGeovanne Solamini

Ícone dos anos 80, Mayara Magri se destaca pela acessibilidade nas redes sociais


Foto: Reprodução/Instagram

Uma das melhores surpresas de 2021, pelo menos para os noveleiros, foi a ascensão da atriz Mayara Magri nas redes sociais. Assim como Vera Fischer, por exemplo, que vem fazendo sucesso nas redes sociais com a postagem de memórias de sua carreira e vida pessoal, além das indicações de filmes e séries com a hashtag #VeraIndica, agora temos Mayara, adotando uma linguagem direta com o público, e conquistando um novo público devido à sua acessibilidade com os fãs.


Ícone de talento e beleza durante os anos 80, mas pouco conhecida pela geração mais jovem, Mayara participou de novelas de grande sucesso que voltaram ao cotidiano do público este ano: “O Salvador da Pátria” (1989), onde viveu Camila, faz parte da grade atual de reprises do Canal VIVA; “A Gata Comeu” (1985) e “Roda de Fogo” (1986) – vivendo Babi e Helena, respectivamente – foram adicionadas recentemente ao catálogo do Globoplay, streaming da TV Globo. Seu último trabalho como atriz, Tomásia na segunda versão de “A Escrava Isaura” (2004), também foi reprisado recentemente na Record TV.


A atriz impressiona por sua atenção com os seguidores, se portando quase como uma amiga dos mesmos, inclusive interagindo em posts sobre novelas das quais não participou (alguns deles escritos por este que vos fala). Seu diálogo é direto e muito bem feito com seguidores de diversas gerações, estabelecendo uma troca de experiências muito enriquecedora dentro da “bolha noveleira” – coisa que muitos atores, ainda na ativa, não conseguem replicar.


No Twitter, a hashtag #OSalvadorDaPátriaNoVIVA movimenta muitos espectadores, e Mayara interage com muitos deles. A atriz, inclusive, é a mediadora entre o autor da novela, Lauro César Muniz, com o público em salas de conversa nas redes sociais. 32 anos após sua exibição original, a novela continua atualíssima (infelizmente) e cativa até mesmo espectadores adolescentes, devido a seus pertinentes paralelos ao atual momento político do Brasil.


Relembre algumas personagens famosas de Mayara Magri


Mayara Magri participou de novelas na TV Globo como “A Gata Comeu” (1985), “Roda de Fogo” (1986) e “O Salvador da Pátria (1989). No SBT, participou de “Éramos Seis” (1994) e na Record TV na segunda versão de “A Escrava Isaura” (2004), sua última novela.

Em conversa com alguns fãs, separei alguns depoimentos sobre Mayara Magri nas redes sociais, que valem ser destacados. Confira abaixo:


“Ao começar a ver O Salvador da Pátria, minha mãe, que estava comigo um dia, reparou que Mayara Magri estava no elenco e disse: “Nossa, faz tempo que ela não faz novela né”? Aí eu fui pesquisar mais a respeito e vi que ela já fez muitas novelas.
Com o passar do tempo, percebi que a própria Mayara Magri curtiu um tweet meu sobre um comentário de O Salvador da Pátria. Depois, vi que ela curtia vários tweets e eu comecei a segui-la no Twitter. Ela, muito generosa, passou a seguir o meu perfil também. Um dia resolvi mandar uma mensagem por DM para agradecê-la e dizer que estava muito feliz pelo fato dela curti meus comentários no Twitter.
Uma simples mensagem de agradecimento virou uma conversa muito bacana sobre as novelas, os anos 80 e como é interessante o interesse dos jovens pelas novelas antigas. Mencionei o meu projeto para ela, o perfil no Instagram e ela passou a seguir e inclusive deu apoio, dizendo para eu divulgar.
Essa aproximação da Mayara com a bolha noveleira é algo muito bacana. Acho muito legal ela rever a novela e interagir com o público. Isso é algo tão raro no universo artístico, essa atenção com o público que curte o trabalho, que isso é um diferencial. Chega dar um quentinho no coração! Como eu digo aqui em casa e como diria Hebe: ‘Como ela é acessível!’”.

Natália Rocha, 25 anos, jornalista e noveleira | São Paulo – SP Tem um perfil no Twitter onde faz comentários sobre as novelas – @natis_rocha e tem perfil no Instagram onde realiza análises sobre as novelas que assiste –@nati.natv


E também…


Marina Abreu, 25 anos | São Paulo – SP Publicitária e MUITO NOVELEIRA, segundo a própria


“Conheci o trabalho da Mayara Magri ainda na infância em A Escrava Isaura, pelo menos esse é o trabalho que eu tenho maior lembrança dela. Já na fase adulta, acompanhei um pouco da reprise de A Gata Comeu no Viva e me encantei pela Babi! Principalmente porque ela tinha uma música tema incrível. Era só ouvir a melô “Oh thinkin’ about all our younger years” (“Heaven”, grande sucesso de Bryan Adams) e pronto, eu tinha certeza de que ela estaria ali. Foi aí que comecei a admirar o trabalho dela de verdade, já que eu assisti a novela com um olhar mais maduro.
Quando vi a Mayara me seguir no Instagram e no Twitter logo pensei: “só pode ser algum perfil fake”. Em poucos minutos percebi que os perfis eram reais, mas pensei comigo: “com certeza é alguma assessora dela que comenta”. Quando notei que era ela mesma que interagia com os noveleiros na hashtag #OSalvadorDaPátriaNoVIVA achei aquilo inacreditável.”
Como assim uma grande atriz estava interagindo conosco, meros mortais amantes da dramaturgia? E isso foi além! Ela leva os nossos comentários sobre a novela para os outros integrantes do elenco e para o autor da novela. Eu quase morri quando percebi isso! Meu maior sonho era assistir
O Salvador da Pátria porque cresci ouvindo a minha mãe dizer: “aquela era uma novela boa!” e poder viver isso ao lado da Mayara nas redes sociais é simplesmente mágico! Um verdadeiro suspiro de alívio em meio a tudo que temos vivido. Obrigada por tudo, Mayara! ♥️”

Só mais um!


Heron Filho, 22 anos, acadêmico em Letras | Vitória da Conquista – BA


“Bom, para começar eu já admirava e conhecia alguns trabalhos da Mayara na TV (A Gata Comeu, Escrava Isaura, um pouco de Dona Beija…) e assistindo O Salvador da Pátria com sua Camila (agora na íntegra, o que é outra coisa) fica evidente como ela tem grande potencial e sabe atuar muito bem, adoro a personagem. Apesar da paixão falar mais alto, ela sabe-se impor muito. E a parceria com Betty [Faria, mãe de Mayara na ficção] e o [Cláudio] Calvalcanti? É muito maravilhosa.
Um dia a Mayara comentou um post de O Salvador da Pátria que o Canal VIVA postou e era sobre os personagens Clotilde (Maitê Proença) e Ricardo (Gracindo Júnior), ela fez uma referência à Dona Beija, onde os mesmos atores contracenaram juntos, achei legal e compartilhei. Eu não sabia que ela usava o Twitter e a segui. Adorei que ela retribuiu me seguindo de volta.
É muito bom o quanto ela é atenciosa e super interage com o pessoal nas redes sociais. Para os noveleiros de plantão, ter uma artista super engajada que compartilha momentos, curiosidades e se junta de fato com a galera para comentar e fazer resenhas, e é tão querida e linda! Isso demonstra muito carinho que ela tem com o público, que gosta e assiste os trabalhos dela. Um dia, quero conhecê-la pessoalmente com certeza. Que venha mais resgates das novelas que ela fez e é um desperdício uma atriz com o porte da Mayara está fora das novelas há tanto tempo.”

Devido à sua gentileza e generosidade, é muito provável que Mayara estará lendo este texto em sua homenagem. Encerro com um agradecimento sincero, em meu nome e em nome de todos os seus fãs e seguidores, pela atenção que a atriz vem tendo com os noveleiros. E aproveito para deixar um convite: posso entrevistá-la, Mayara Magri?

Comentarios


bottom of page